1962

Janeiro

1

Ataque ao quartel de Beja dirigido por Varela Gomes, no âmbito de um movimento militar que não teve êxito

Constituição, em Dar-es-Salam, do Comité de Unificação dos Movimentos Nacionalistas de Moçambique

3

Estabelecimento em Lisboa, de um governo do Estado da índia

15

Portugal abandona a Assembleia-geral da ONU, em virtude do debate sobre Angola

27

Acordo entre Portugal e a União Indiana para o repatriamento de mais de três mil prisioneiros

30

Resolução da Assembleia-geral da ONU, reprovando a repressão e acção armada desencadeada por Portugal contra o povo angolano, reafirmando o direito deste à autodeterminação e independência

31

Manifestação no Porto com gritos de ordem contra guerra colonial, o que acontece pela primeira vez

Fevereiro

Criação da Missão de Estudos Económicos do Ultramar

2

Marcelo Caetano preconiza uma modificação constitucional com vista a transformar o Estado Unitário em Estado Federal

Março

Abertura de negociações entre Portugal e a África do Sul sobre um projecto de aproveitamento do rio Cunene

Fim da guerra da Argélia

Constituição por intelectuais portugueses naturais ou residentes em Angola, da Frente Unida Angolana (FUA), de apoio ao MPLA

2

Criação de uma organização de voluntários de carácter permanente em cada um dos territórios coloniais

3

Reivindicação pela UPA, em Leopoldville, da prisão e execução de um destacamento do MPLA

12

Início das emissões da Rádio Portugal Livre, a partir da Argélia

13

Prisão em Bissau, pela PIDE, dos dirigentes do PAIGC, Rafael Barbosa e Fernando Fortes

Carta do Comité dos Sete da ONU ao Governo português solicitando informação sobre as condições de uma visita do Comité aos territórios sob administração portuguesa

18

Deslocação a Lisboa do governador-geral de Moçambique, almirante Sarmento Rodrigues, por causa de actividades secessionistas de colonos da Beira

23

Resposta do Governo português à carta do Comité dos Sete da ONU, recusando a visita do Comité aos territórios sobre administração portuguesa

24

Proibição pelo Governo, das celebrações do Dia do Estudante, abrindo-se a crise académica

27

Constituição da FNLA, a partir da UPA e do PDA

Abril

5

Formação do GRAE (Governo Revolucionário de Angola no Exílio) pela FNLA

6

Greve da Universidade de Lisboa

12

Remodelação ministerial, com Gomes de Araújo a substituir Salazar na Defesa Nacional, Joaquim da Luz Cunha a substituir Mário Silva no Exército e Peixoto Correia a substituir Adriano Moreira no Ultramar

Agitação nas universidades, luto académico

27

Aprovação do Código do Trabalho Rural para o Ultramar

Maio

Evasão de Lisboa, onde tinha residência fixa, de Agostinho Neto

1

Repressão de manifestações de rua em Lisboa com palavras de ordem contra a guerra colonial, de que resulta um morto e várias dezenas de feridos

22

Chegada a Lisboa dos primeiros prisioneiros portugueses da índia, a bordo do navio Vera Cruz

Junho 

Apresentação por Amílcar Cabral, perante a Comissão da ONU para os territórios administrados por Portugal, de um relatório intitulado «O Nosso Povo, o Governo Português e a ONU»

14

Criação de um Centro de Instrução em Zemba (CI 21) para formar as primeiras unidades de comandos

25

Criação da Frelimo (Frente de Libertação de Moçambique), presidida por Eduardo Mondlane

Julho 

Entrada em funcionamento da base de Kinkusu, atribuída pelo Governo do Congo-Leopoldville à UPA

Condenação em Luanda, dos escritores António Jacinto, António Cardoso e José Graça (Luandino Vieira) a 14 anos de prisão por «actividades contra a segurança exterior do Estado»

5

Independência da Argélia

Agosto

Recomendação da Conferência de Ministros dos Negócios Estrangeiros da OUA reunida em Dacar, para o reconhecimento do GRAE de Holden Roberto

Setembro

Fundação em Dacar, da Frente de Libertação Nacional da Guiné (FLING)

1

Petição ao presidente da República, por um grupo de personalidades da oposição, reclamando a demissão de Salazar e uma modificação na política ultramarina

23

Início do I Congresso da Frelimo em Dar-es-Salam

24

Demissão de Venâncio Deslandes dos cargos de governador-geral e comandante-chefe de Angola, na sequência de divergências com o ministro do UItramar, Adriano Moreira, por questões de autonomia política e administrativa do território

Outubro

24

Recepção de Kennedy a Franco Nogueira

Novembro

Fim da secessão do Catanga e Cassai, que são reintegrados no Congo-Leopoldville

15

Carta de Viriato da Cruz aos elementos do MPLA, manifestando-se contra Agostinho Neto

23

Depoimento de Eduardo Mondlane, em nome da Frelìmo, perante o Comité Especial da ONU para os territórios administrados por Portugal

Dezembro

Apresentação na ONU do plano «U’Thant» para unificação do Congo, para solucionar a questão da secessão do Katanga

Declarações de David Mabunda, secretário-geral da Frelimo, no Cairo, segundo as quais seria inevitável nova guerra, como em Angola, se Portugal não tomasse medidas imediatas para garantir a autodeterminação de Moçambique

1

Negociações em Paris, de Sócrates Deskalos, presidente da Frente Unida Angolana (FUA), para abrir um novo quartel-general no Congo e para colaborar com a UPA e MPLA

Início do I Congresso do MPLA em Leopoldville, com Agostinho Neto na presidência e Mário de Andrade na vice-presidência, sendo elementos da Comissão Governativa P. Domingos da Silva, Matias Miguéis, Manuel Lima e Sócrates Daskalos

3

Remodelação ministerial, com a entrada de Gomes de Araújo para ministro da Defesa, de Luz Cunha para ministro do Exército, de Peixoto Correia para o Ultramar e de Francisco Chagas para secretário de Estado da Aeronáutica

12

Aprovação de uma moção na ONU recomendando um programa especial de assistência técnica para educação e treino de dirigentes nacionalistas dos territórios sob administração portuguesa

13

Apresentação de Amílcar Cabral na Comissão de Curadorias da ONU como representante do PAIGC

14

Resolução da Assembleia-geral da ONU sobre Angola, condenando a atitude de Portugal, pedindo o reconhecimento imediato do direito dos povos não autónomos à autodeterminação e independência e a cessação imediata de todos os actos de repressão

18

Resolução da Assembleia-geral da ONU, reafirmando o inalienável direito do povo de Angola à autodeterminação e independência, condenando a guerra colonial conduzida por Portugal e requerendo ao Conselho de Segurança as medidas adequadas

19

Início da Conferência das Forças Antifascistas Portuguesas, que funda a Frente Patriótica de Libertação Nacional (FPLN)

28

Depoimento de Holden Roberto, líder da UPA, perante a Comissão Especial da ONU