1964

Janeiro

Conferência dos Quadros e dos Militantes Activos do MPLA

Realização da II Conferência das Forças Antifascistas Portuguesas, promovida pela FPLN

11

Aprovação pela Assembleia Nacional, de uma moção de apoio à «política de defesa intransigente do solo pátrio», com referência ao Ultramar

14

Início da operação Tridente, em que forças portuguesas, comandadas por Fernando Cavaleiro, desembarcam na ilha do Como, no Sul da Guiné, operação que se prolonga por mais de dois meses

Fevereiro

Reportagem da revista Africa Report sobre a história e evolução do PAIGC, focando a sua organização, objectivos, relações e formas de actuar

Melhoria da actividade do ELNA em Angola, com armamento de maior potência, maior dispersão de acções de guerrilha e melhor preparação do pessoal

Na Guiné a FLING, dirigida por François Mendy e a UNGT dirigida por Pinto Bull, tentam a aproximação embora alguns elementos prefiram o entendimento com Amílcar Cabral

Agostinho Neto presidente do MPLA desenvolve uma campanha no sentido de se aproximar dos países ocidentais e africanos

13

Inicio do I Congresso do PAIGC, realizado em Cassacá no Sul da Guiné. Neste Congresso foi feita a separação entre poderes civis e militares, definindo o conceito de território nacional e criados os comandos militares inter-regionais

Março

Violentos combates pela reconquista da ilha do Como, na posse do PAIGC

Fim da operação Tridente, na Guiné, que se desenvolveu na região de Como, envolvendo as ilhas de Como, Caiar e Catunco

Comunicado do PAIGC distribuído em Argel, afirmando o acordo entre a oposição portuguesa, representada por Humberto Delgado e os movimentos de libertação africanos, para estreitamento de relações e concordância numa acção comum

5

Concessão de facilidades da Alemanha para recuperação de militares mutilados nas guerras coloniais

8

Reunião de dirigentes do PAIGC e da FPLN em Argel

17

Apresentação de um relatório de U’Thant ao Conselho de Segurança sobre a presença em Angola de mercenários e ex-gendarmes catangueses

21

Comunicado da PIDE a acusar Humberto Delgado de auxílio aos «grupos terroristas»

Abril

Agostinho Neto em entrevista à Rádio Moscovo, defende a realização de um congresso de todas as organizações nacionalistas angolanas, para resolução dos diferendos e constituição de uma frente comum contra Portugal

Utilização pelo PAIGC, da mina A/P POMZ-2 e do Morteiro 82

Conferência Internacional dos Sindicatos Livres em Adis Abeba, em que está presente o vice-presidente do GRAE, Kouneika, sendo aprovada uma resolução que condena a politica colonial portuguesa

Comunicado do GRAE sobre a aceitação nas suas fileiras da facção dissidente do MPLA, dirigida por Viriato da Cruz, já separada deste movimento desde Julho de 1963

Comunicado do MPLA publicado em Brazzaville acerca das divergências entre os dois principais movimentos nacionalistas angolanos e sobre as dificuldades do MPLA com o Governo do Congo-Leopoldville, comprometido com o GRAE

Crónica do New Statesman sobre a situação em Angola, afirmando, «os problemas que Angola defronta são profundos e a longo prazo. Os portugueses, isolados da realidade, descuidados da situação, estão a aplicar a sua solução com a ponta das espingardas»

Crónica do Sunday Star, referindo a luta travada entre Portugal e o Congo através dos apoios ao GRAE e aos ex-gendarmes catangueses para uma nova secessão do Catanga

7

Acordo entre Portugal e a França para a instalação de uma base francesa de rastreio de mísseis na ilha das Flores

13

Ian Smith, primeiro-ministro da Rodésia do Sul

15

Declaração do estado de emergência no Norte do Zambeze, em Moçambique, para onde são enviados 2500 militares portugueses

Maio

O PAIGC procura criar condições favoráveis ao seu reconhecimento pela OUA como único partido nacionalista da Guiné através de uma intensa actividade diplomática e de propaganda

Luta no interior do GRAE entre Holden Roberto e uma facção chefiada por Jonas Savimbi, ministro dos Negócios Estrangeiros

Assinatura de um tratado entre o Governo português e a Krupp para exploração dos jazigos de ferro de Cassinga em Angola

Deliberação do Conselho de Ministros sobre a nomeação do general José Costa Almeida para os cargos de governador-geral e comandante-chefe de Moçambique, em substituição do anterior governador, almirante Sarmento Rodrigues

Declaração de Mennen Williams, secretário-assistente dos estados Unidos para os Assuntos Africanos em Dacar, sobre o apoio do seu país à politica de autodeterminação da Guiné Portuguesa

1

Dia Internacional do Trabalho realizado na ilha de Zanzibar, com centenas de convidados da África e da Europa, para celebrar a união de Zanzibar e Tanganica, estando presentes delegados dos grupos de libertação de Angola e de Moçambique

8

Nomeação do brigadeiro Arnaldo Schulz governador-geral e comandante-chefe da Guiné

25

Sessão comemorativa do Dia da Libertação Africana em Adis Abeba, primeiro aniversário da OUA, tendo os chefes de Estado de vários países africanos afirmado a continuação da ajuda aos movimentos de libertação

Novo convite do Governo português a U’Thant para visitar Angola e Moçambique

Junho

Reconhecimento oficial do GRAE pela Comissão dos Nove da OUA reunida em Dar-es-Salam

Condenação da administração colonial portuguesa durante o 48º Encontro da OIT em Genebra

Comentário da BBC sobre a politica portuguesa: «Os portugueses não podem pregar aos quatro ventos que estão a difundir os ideais do cristianismo e a cultura ocidental, se continuam a recusar aos africanos a independência, direito humano fundamental»

Conferência de imprensa do MPLA em Brazzaville, presidida pelo seu chefe dos serviços de informação, Aníbal de Melo

1

Reestruturação da Frelimo com distinção dos aparelhos político-administrativo e político-militar, sendo criadas quatro regiões, que se subdividem em comandos regionais

3

U’Thant, secretário-geral da ONU, não aceita o convite de Portugal para visitar Angola e Moçambique, «uma vez que, nas presentes circunstâncias, tal visita não servirá objectivo útil»

4

U’Thant declina o convite do Governo português para visitar Angola e Moçambique

Julho

Manuel Lopes da Silva, secretário-geral da FLING na Guiné

Conferência de alto nível de 34 chefes de Estado africanos no Cairo, em cuja ordem do dia se salienta a apreciação do relatório do Comité de Libertação de África e o exame da situação nas colónias portuguesas

Interferência do presidente do Congo-Brazzaville na Conferência do Cairo, pondo em causa a decisão tomada pela OUA em favor do GRAE de Holden Roberto, que leva à criação de uma subcomissão para averiguações

Os movimentos de libertação adaptam a sua propaganda à realidade e visam atingir os militares portugueses, convencendo-os de que a guerra em África lhes é imposta, devendo os seus esforços voltarem-se contra o Governo português

Declarações do assistente do secretário de Estado americano para os assuntos Africanos sobre o desejo de ver Portugal reconhecer publicamente o princípio da autodeterminação, devendo-se encorajar ambas as partes às cedências

Na Guiné, o PAIGC utiliza a metralhadora pesada Bren (apreendida em 1963) e a metralhadora Borsig

6

Aprovação de uma lei pela Câmara dos Lordes britânica concedendo a independência à Niassalândia, que passa a chamar-se Malawi e cujo primeiro presidente é Hastings Banda

17

Garantias de apoio do cônsul de Portugal na Rodésia a Ian Smith no caso de declaração unilateral de independência da minoria branca

18

Demissão de Jonas Savimbi do GRAE e da FNLA

23

Inicio de uma visita de Américo Tomás a Moçambique

Agosto

O MPLA desenvolve uma intensa campanha política a partir do Congo-Brazzaville, tentando aproveitar a crise da FNLA

A FNLA procura atenuar os efeitos da crise interna motivada pelo abandono de alguns dos seus dirigentes

Definido o carácter obrigatório da frequência de exercícios de defesa civil para os funcionários públicos de Angola

1

O Congo-Leopoldville toma a designação de República Democrática do Congo (RDC)

15

Entrada dos primeiros guerrilheiros da FRELIMO em Moçambique, vindos da base de Mtwara, na Tanzânia

24

Morte do padre Daniel, da missão de Nangololo, em consequência de um ataque da guerrilha

Setembro

Na Guiné o PAIGC utiliza o seguinte armamento: metralhadora 7.62 Guryumov m/944 com reparo, carabina Mosin-Nagant, pistola-metralhadora PPSH (chinesa), espingarda Mauser 7.9, pistola-metralhadora Thompson 11.4 e minas A/C TM 46.

14

Morte do guarda auxiliar da PSP Martins, por um grupo de guerrilheiros armados, na zona de Mueda, em Moçambique

24

Primeira acção da FRELIMO no Niassa, com ataque ao posto administrativo do Cobué

25

A França anuncia a entrega a Portugal de oito navios de guerra, como contrapartida pela cedência da base das Flores

Ataque da guerrilha à lancha Castor, da Marinha Portuguesa, no lago Niassa

Início da luta armada em Moçambique, conduzida pela FRELIMO, com um ataque a Chai (Cabo Delgado)

Outubro

Primeiras acções armadas da COREMO, em Tete e Niassa

O PAIGC e a FLING de Henry Labery e Lopes da Silva, efectuam contactos para a sua aproximação

Reacção pelo fogo a um reconhecimento efectuado por tropas portuguesas e realização de uma emboscada por parte de FRELIMO, o que acontece pela primeira vez

5

Inicio da II Conferência Plenária dos Países Não Alinhados no Cairo, com a presença de Holden Roberto, em cujo comunicado se apela ao apoio material, financeiro e militar aos combatentes da liberdade dos territórios sob domínio português

13

Portugal e a África do Sul assinam um conjunto de acordos, um dos quais, relativo à utilização do rio Cunene

18

Reunião no Cairo da subcomissão criada em Julho para análise do problema angolano, com a presença de um delegado do MPLA e a ausência da FNLA que boicotou os trabalhos da subcomissão

Novembro

Ataque a um posto de sentinela em Mutarara, primeira acção da FRELIMO na zona de Tete

16

Primeiras baixas sofridas pelas tropas portuguesas no Norte de Moçambique, na região de Xilama, Cabo Delgado

Apresentação ao Comité de Libertação da OUA de um relatório da subcomissão de análise do problema angolano, cujas conclusões apontam para a revisão das decisões anteriores e a atribuição de uma ajuda concreta ao MPLA

22

Suspensão do jornal Diário de Moçambique, da Beira, por publicar o que é considerado como «uma versão falsa de confrontos militares no norte de Moçambique»

25

Reconhecimento do MPLA pelo Comité de Libertação da OUA

30

Nomeação do brigadeiro Emílio Moura dos Santos para o cargo de segundo-comandante da RMM

Dezembro

Início da constituição das milícias, na Guiné

O Comité dos Nove da OUA anuncia que passa a dar ajuda militar ao MPLA e não unicamente ao GRAE

Acusação da Rússia a Holden Roberto de ter apoiado Tshombé e de ter ligações aos Estados Unidos, apontando o MPLA como o único movimento representativo do povo angolano

Na Guiné, o PAIGC utiliza o seguinte armamento: metralhadora ligeira Degtyarev (russa), espingarda automática Kalashnikov 7.62 (russa), espingarda automática Simonov (russa), morteiro 60 e pistola Ceska

2

Visita do Papa Paulo VI à Índia, que o governo português considera «uma afronta gratuita, inútil e injusta contra Portugal»

O Conselho de Segurança da ONU decide ouvir em audiências os movimentos de libertação de Angola, Guiné e Moçambique

9

Independência da Zâmbia (ex-Rodésia do Norte)

Independência da Tanzânia (ex-Tanganica)

11

Publicação por Jonas Savimbi, em Brazzaville, do manifesto aos «Amigos de Angola», que estará na origem da UNITA

13

Início do I Congresso do PAIGC, realizado no interior da Guiné

20

Vaga de prisões em Lourenço Marques, estando entre os presos José Craveirinha, Rui Nogar, Luís Bernardo Hnwana e Malangatana Valente

21

A Assembleia Geral da ONU reconhece a legitimidade da luta que os povos sob dominação portuguesa travam para alcançar a sua liberdade e independência

31

No final do ano de 1964, os efectivos portugueses nos três teatros de operações ultrapassaram os 84.000 homens

Declaração de Franco Nogueira sobre o abandono da ONU por parte de Portugal