1965

Janeiro

Portugal põe em causa a legalidade da constituição do Conselho de Segurança da ONU, pelo que declara não se considerar obrigado por qualquer decisão sua

Luta decisiva de influência e prestígio entre o MPLA e o GRAE / FNLA pela supremacia politica e militar, após a decisão da OUA de passar a ajudar o MPLA e da declaração soviética de apoio a este movimento

Sétima Sessão do Comité Executivo do Secretariado Permanente de Solidariedade Afro-Asiática, sendo um dos principais objectivos discutir as medidas a tomar para solucionar os problemas de Angola, Moçambique e Guiné

Declaração da Comissão Central do Conselho Mundial das Igrejas sobre a necessidade de ser apressada a concessão da autodeterminação aos territórios coloniais ainda existentes em África

Conferência dos ministros dos Negócios Estrangeiros da África Oriental (Uganda, Quénia e Tanzânia), que consideram necessário promover uma politica comum em relação aos refugiados de Angola

1

Corte de relações da Indonésia com Portugal

2

Abertura da base aérea alemã em Beja

7

Primeira emissão de uma emissora de rádio do PAIGC

Aumento das taxas do imposto de defesa

10

Relevo da June Afrique à mudança completa de atitude da OUA relativamente ao problema angolano, passando o MPLA a receber um terço do orçamento anual destinado a Angola

Fevereiro

Referência no jornal Le Monde à prisão de intelectuais hostis à politica colonial em Moçambique, facto que tem contribuído para o aumento de tensão social na colónia portuguesa

Relatório sobre a politica colonial de congressistas americanos membros da Comissão de Relações Externas da Câmara dos Representantes, referindo que programas desenvolvidos por Portugal nas colónias são construtivos e necessários

Posição do ministro dos Negócios Estrangeiros da Alemanha Ocidental de que só venderia 60 aviões militares de origem canadiana a Portugal na condição de eles serem exclusivamente utilizados na área NATO

Negociações entre Portugal e a Rodésia sobre um novo tratado de comércio e cooperação em comunicações, imigração e turismo

Proibição pelo Governo da Zâmbia das actividades dos movimentos nacionalistas fora de Lusaka, interditando a organização de colectas de fundos no seu território

13

Assassínio de Humberto Delgado pela PIDE, próximo de Badajoz

18

Salazar, referindo-se à política ultramarina portuguesa, designa Paris e Argel como as capitais da subversão contra Portugal, referindo que os portugueses combatem sem espectáculos e sem alianças, «orgulhosamente sós»

Março

Aumento das pressões dos líderes negros americanos no sentido de um endurecimento da política americana em relação às posições portuguesas em África

Entrevista de Luis de Almeida, representante do MPLA em Argel, ao jornal Revolution Africaine, considerando o 4 de Fevereiro de 1961 como data notável na história da emancipação dos povos do mundo

Continuação da cerrada luta politica e diplomática entre o GRAE e o MPLA pela sua afirmação junto dos países africanos

Visita do rei Hassan ao Cairo, sendo condenada, no comunicado final, a guerra de extermínio em Angola, Moçambique e Guiné, e a recusa de Portugal em conceder aos povos dos territórios africanos a autodeterminação

Proibição de todas as trocas comerciais com Portugal por parte do Governo tanzaniano

Seminário Económico Afro-Asiático em Argel, com a presença de delegados de 40 países, constando da plataforma de acção aprovada, o fornecimento aos movimentos nacionalistas de ajuda em armas, equipamentos, finanças e formação militar de quadros

Reunião da Conferência das Organizações Nacionalistas das Colónias Portuguesas (CONCP) em Rabat, com a presença de representantes da Frelimo, MPLA, PAIGC e Comité de São Tomé e Príncipe

Conversações entre Paulo Guname, da Udenamo e a Frelimo para a criação de uma frente unida contra os portugueses

19

Silva Cunha substitui Peixoto Correia na pasta do Ultramar

Abril

Entrevista de Amílcar Cabral ao Le Monde, confirmando que pretende preservar as oportunidades de uma futura colaboração com o Estado Português não colonialista, não escondendo as dificuldades da luta na Guiné

Visita a Pequim de uma delegação da organização feminina do MPLA, chefiada por Lucília Neto

Inauguração das instalações do escritório do MPLA no Cairo (sétimo em África) por Baya António Miguel, membro do Directório do MPLA

Afirmação do apoio da politica argelina aos movimentos nacionalistas de Angola, Moçambique e Guiné e aos patriotas que lutam contra o fascismo de Salazar

4

Entrevista de Holden Roberto à June Afrique em que se refere à situação em Angola e analisa as suas relações com Tshombé, ex-primeiro ministro do Congo, defendendo-se das acusações de colaboração

26

Promulgação pelo Governo português de um novo Código de Investimento Estrangeiro para o «espaço comum» português

Maio

Ataque do PAIGC ao aquartelamento de Beli, Guiné, durante cerca de três horas, com utilização de morteiros, lança-granadas-foguete e metralhadoras

Acção das forças portuguesas na região de Morés, Guiné, com captura de diverso material de guerra, incluindo metralhadoras Borsig, Bren e M52, minas A/C TM-46, granadas-foguete, granadas de mão, etc

9

Inicio da IV Conferência de Solidariedade dos Povos Afro Asiáticos no Gana, cujo comunicado final apoia expressamente a luta do MPLA, não fazendo referência ao GRAE

21

Condenação unânime de Portugal, pelo Conselho de Segurança da ONU, devido a incursões armadas no Senegal

Assalto à sede da Sociedade de Escritores, na sequência da atribuição do Grande Prémio de Novelística a Luandino Vieira

29

Rebentamento do primeiro engenho explosivo em Moçambique, na zona de Nova Coimbra, Niassa

Junho

Ataque do PAIGC a Canjambari, Guiné, desenvolvido em duas fases, com utilização de grande poder de fogo de morteiros, lança-granadas-foguete e armas automáticas

Acção das forças portuguesas na região de Tite, Guiné, com destruição de um acampamento e captura de diverso material de guerra, incluindo espingardas Mauser e Mosin-Nagant., pistola-metralhadora M-25, metralhadora Goryunov, etc.

Conflito entre a diocese da Beira e as autoridades civis por causa da suspensão do seu jornal Diário de Moçambique, depois da publicação de uma pastoral do bispo da Beira, D. Sebastião de Resende

Tentativa de Alexandre Taty para depor Holden Roberto da chefia da FNLA, através de uma junta militar cujo objectivo seria conseguir a unificação de todos os movimentos angolanos e a reorganização do aparelho militar do ELNA

Aprovação pela 49ª Conferência Anual da OIT, de uma resolução final que condena a politica de trabalho forçado praticado pelo Governo português nos territórios sob sua administração

Declaração da delegada dos Estados Unidos na Comissão de Descolonização da ONU reunida em Dar-es-Salam, sobre a autodeterminação dos territórios portugueses em África

Encontro secreto entre Salazar e Tshombé em Lisboa

Reunião da Comissão de Descolonização da ONU em Dar-es-Salam que, na resolução final, pede a todos os Estados para darem apoio moral e material a Angola, Moçambique e Guiné, e aos países da NATO para se absterem de fornecer armas e munições a Portugal

Formação do Comité Revolucionário de Moçambique (COREMO)

10

Resolução da Comissão de Descolonização da ONU, em que pele primeira vez se deixa de falar em «territórios sob administração portuguesa» para se referirem «territórios sob dominação portuguesa»

14

Accionamento por elementos das forças portuguesas, da primeira mina anti pessoal em Moçambique, na zona de Cobué, Niassa

Julho

2

Início da Operação Águia, primeira grande operação realizada pelas forças portuguesas em Moçambique, na zona de Mueda

10

Inicio da reunião do Congresso Mundial da Paz, em Helsínquia, que aprova uma proposta para a realização de solidariedade com os combatentes da liberdade das colónias portuguesas

20

Inicio da publicação de um jornal em português em Acra (Gana), ao serviço da luta de libertação das colónias portuguesas

Agosto

Primeiros sinais de actividade do MPLA na zona leste de Angola, em acções de propaganda e recrutamento

Nomeação do brigadeiro Francisco da Costa Gomes para o cargo de segundo comandante da Região Militar de Moçambique

Corte de relações diplomáticas e comerciais do Congo-Brazzaville com Portugal

Dissolução pelo Governo-Geral, do Centro Associativo dos Negros de Moçambique por se considerar que a associação perturbava a «ordem politica e social»

Aumento da actividade militar do ELNA nas regiões fronteiriças de Angola

Visita de uma missão militar da OUA às regiões controladas pelo PAIGC

Apelo a favor dos intelectuais presos em Moçambique, feito pela Associação Internacional para a Amnistia, em Londres

Setembro

Nomeação do general Moura dos Santos para o cargo de comandante da RMM, em substituição do general Carrasco

3

Encerramento pela PIDE, da Casa dos Estudantes do Império, em Lisboa

15

Arnaldo Schulz, de visita a Lisboa, afirma que «a Guiné jamais deixará de ser portuguesa»

Outubro

Reconhecimento pela OUA, do PAIGC como legitimo representante do povo da Guiné-Bissau

Proposta feita pelos candidatos da oposição, de um amplo debate nacional sobre a conveniência da actual politica em relação ao ultramar

3

Início da reunião CONCP em Dar-es-Salam, com a afirmação da necessidade de coordenação político-militar entre os movimentos nacionalistas, estiveram presentes Mondlane, Uria Simango e Marcelino dos Santos (Frelimo), Amílcar Cabral, Vasco Cabral e José Eduardo Araújo (PAIGC), Agostinho Neto e Mário de Andrade (MPLA) e Tuleiro de Medeiros e António S. Nogueira (CLSTP)

4

Discurso do Papa Paulo VI na Assembleia Geral das Nações Unidas com elogio da ONU e da sua dimensão universal

10

Accionamento da primeira mina anticarro por forças portuguesas em Moçambique, na zona do Sagal, Mueda

21

Inicio da reunião de alto nível da OUA, em Acra, que pediu aos movimentos de libertação dos territórios sob administração portuguesa a intensificação da luta

Novembro

Convocação pelo exército português em Moçambique, dos oficiais milicianos dos cursos de 1957 a 1962

Frequência de um curso na China por parte de Savimbi e outros dissidentes da FNLA

Expulsão de Portugal da Organização Inter Africana do Café, durante a assembleia-geral realizada em Paris

3

Moção do Conselho de Segurança da ONU, pedindo a todos os Estados para não prestarem assistência a Portugal «que lhe permita continuar a repressão» contra a população dos territórios africanos, em especial armas e equipamento militar

11

Proclamação da independência da Rodésia por Ian Smith, com apoio da minoria branca

23

Resolução do Conselho de Segurança da ONU sobre o imediato reconhecimento do direito dos povos dos territórios sob administração portuguesa à autodeterminação e independência, referindo que a politica portuguesa «perturba seriamente» a paz e a segurança internacionais

Dezembro

Contrato do Governo português com a Petrangol, para pesquisa de petróleo bruto em Angola

12

Aprovação de uma resolução da Assembleia Geral da ONU em que, pela primeira vez é reconhecida a «legitimidade da luta» que os povos sob dominação colonial travam para exercer o seu direito à autodeterminação

14

Nomeação do general Soares Pereira para o cargo de comandante-chefe de Angola

17

Embargo ao comércio com a Rodésia decretado pela Grã-Bretanha